Uncategorized

Comics News | Ayuso vence em Madrid, mas pode precisar do Vox para governar

Argentina, Buenos Aires, Canadá, España, Madrid
Transportistas en Lara: Estamos a punto de desaparecer por falta de combustible #4May

O Partido Popular venceu as eleições regionais de Madrid, mas a presidente da Comunidade, Isabel Díaz Ayuso, poderá precisar do apoio do Vox para ser reeleita, segundo a sondagem Gad3 divulgada pela TVE à hora de fecho das urnas.

O PP conseguirá entre 62 e 65 deputados regionais (a maioria absoluta são os 69), com o PSOE a ter entre 25 e 28 deputados, o Más Madrid teria entre 21 e 24 representantes, o Vox entre 12 e 14 e a Unidas Podemos terá entre 10 e 11 representantes. O Ciudadanos, como previam as sondagens, ficaria de fora da Assembleia.

O PP poderá ter mais deputados do que toda a esquerda junta, pelo que só precisaria de uma abstenção do Vox na segunda votação de investidura (onde só precisa de maioria simples) para ser reeleita. No melhor caso, a esquerda consegue 63 deputados, sendo que no pior dos casos o PP só consegue 62.

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Em 2019, o PSOE foi o mais votado, elegendo 37 membros da Assembleia de Madrid, seguido do PP que elegeu 30 e fez um acordo de governo com o Ciudadanos, que foi terceiro elegendo 26 deputados regionais, o Más Madrid elegeu 20 deputados, o Vox elegeu 12 (e apoiou o governo PP/Ciudadanos) e a Unidas Podemos elegeu 7.

A confirmar-se a sondagem, o PSOE perde com a candidatura de Ángel Gabilondo uma dezena de representantes, o que representará também uma derrota para o primeiro-ministro Pedro Sánchez. Em especial dado que tanto o Más Madrid como a Unidas Podemos, com a candidatura do ex-vice-presidente espanhol Pablo Iglesias) conseguem melhorar os resultados de 2019.

Outro derrotado da noite será o Ciudadanos, que está em plena crise de resultados desde as eleições gerais de 2019 que levaram à demissão do líder, Albert Rivera. Não consegue eleger representantes em Madrid.

As eleições antecipadas em Madrid foram desencadeadas depois de Ciudadanos (com o apoio do PSOE) ter rasgado o acordo com o PP no governo de Múrcia, numa moção de censura que depois viria a fracassar. Ayuso, temendo que o mesmo acontecesse em Madrid, antecipou-se e convocou as eleições.

Participação elevada A taxa de participação nas eleições regionais de Madrid era às 19.00 (18.00 em Lisboa) de 69,14%, mais de 11 pontos percentuais do que à mesma hora nas eleições de 2019 (58,13%).

Apesar de a votação decorrer um dia da semana, ao contrário do que é habitual, e realizar-se em plena pandemia de covid-19, o aumento da participação era visto com bons olhos já ao princípio da tarde.

Às 13.00, a participação era de 28,43%, um aumento de 2,25 pontos percentuais, e havia longas filas para votar, que continuaram a ser uma realidade da parte da tarde.

Mais de cinco milhões de madrilenos foram chamados a fazê-lo em 1084 locais de votação. Quem esvier na fila às 20.00, quando as urnas fecham, ainda pode votar.